Salão de Carros

Motores Quadrados, Subquadrados e Superquadrados

Postado em 30 de abril de 2021 por Julia Ricotta

corvette 2020

Como visto no post “O que é a cilindrada e qual a importância dela no seu carro?”, sabemos que o diâmetro e o curso do pistão são medidas utilizadas para a definição do tamanho do cilindro, alterando o volume do motor. Mas será que os dois parâmetros influenciam o desempenho do motor de outra forma? Venha conosco para descobrir a resposta!

 

Biela

Antes de vermos a relação entre o diâmetro e o curso do pistão, precisamos conhecer um componente que será muito citado no assunto de hoje: a biela. Ela é a responsável por conectar a cabeça do pistão ao virabrequim, transferindo o movimento de subida e descida do primeiro para o segundo, transformando- em um movimento de rotação.

Biela

Figura 1 – Biela em sua posição, conectando o pistão ao virabrequim.

 

Proporção Diâmetro x Curso

Os valores do diâmetro e do curso são cruciais, como visto no post anterior, pois são utilizados para definir o volume das cilindradas. A proporção entre essas duas medidas não fica de lado, pois também tem grande importância para os motores, devido ao fato de que ela influencia na faixa de rotação do motor, comprimento e peso da biela, além de caracterizar o desempenho do componente.

pmi e pms

Figura 2 – Representação esquemática do diâmetro (D) e curso do pistão (C).

 

Existem três situações possíveis para a relação de tais medidas: as duas são iguais,o diâmetro é menor que o curso ou o diâmetro é maior que o curso. Vamos ver em quais pontos essas relações interferem?

Motores Quadrados

Tais motores recebem o nome de quadrados pelo fato de que o diâmetro dos pistões tem medida igual ao curso.

Eles caracterizam-se pelo equilíbrio entre torque e potência, não necessitam de materiais muito caros, são bem flexíveis quando tratamos a capacidade dos mesmos, pois podemos mudar poucas coisas para gerar um novo motor como, por exemplo, substituir a biela por uma maior para aumentar a capacidade volumétrica do motor, pois assim aumenta-se o curso e mantém-se a cabeça do pistão, mudando de 1.4 para 1.6. Claro que também seria necessário ajustar alguns outros parâmetros, como trocar o mapeamento da injeção, mas ainda assim são mudanças menores do que criar um novo motor do zero.

Por causa desta simplicidade, é muito fácil encontrar as peças para tais tipos de motores pois, para vários modelos da mesma linha, existirão peças compartilhadas, a exemplo da cabeça do pistão, que será a mesma para o 1.4 e o 1.6 exemplificado anteriormente.

Por terem maior versatilidade na substituição de peças, são motores presentes em carros de altos volumes de vendas, mas não são muito encontrados atualmente.

Motor Bugatti Veyron

Figura 3 – Motor do Super esportivo Bugatti Veyron (diâmetro x curso: 86.0mm x 86.0mm).

 

Motores Subquadrados

Nos motores em questão, o diâmetro do pistão é menor que seu curso e, devido a isto, são chamados de “biela longa”.

Eles apresentam uma grande quantidade de torque e maior consumo de combustível dentre os tipos de motores que falaremos hoje, devido ao fato de possuírem componentes robustos, ou seja, suas peças tem maior massa se comparado aos outros, o que dificulta a movimentação das mesmas, necessitando de entregar mais energia para a movimentação das partes pesadas.

Devido aos componentes mais resistentes, este tipo de propulsor possui uma vida útil muito boa, suportando muitos e muitos quilômetros sem a necessidade de substituição de peças ou retífica, caso sejam bem cuidados. Além disso, a elevada resistência das peças faz com que eles possam receber um turbo (ou qualquer outra sobrealimentação) sem maiores problemas, o que trará benefícios, como a potência máxima melhorada e aparecendo em rotações mais baixas, assim como o torque, que também aparece mais cedo.

Como visto, além de poderem ser sobrealimentados, são motores normalmente empregados em máquinas pesadas, caminhonetes, caminhões, alguns carros esportivos (como o Nissan Skyline GT-R R34) e afins.

Motor Caterpillar

Figura 4 – Motor 3512C Tier 3, da Caterpillar (diâmetro x curso: 170mm x 215mm).

 

Motores Superquadrados

Os motores superquadrados caracterizam-se pelo diâmetro do pistão maior que o curso, sendo apelidado de “biela curta”.

Graças às bielas mais compactas, que trazem maior leveza ao sistema, tais motores trabalham em faixas de rotações mais altas, destacando-se pela alta potência obtida nos altos giros. A combinação das altas rotações com os componentes mais leves faz com que eles possuam uma menor vida útil, necessitando trocar peças mais rapidamente.

 Na cidade, podem desapontar pelo fato de terem um bom rendimento em regimes de rotação mais alta, o que não ocorre no trânsito urbano, normalmente. Mas, caso você consiga atingir as faixas ótimas para este tipo de motor, seja numa estrada ou em um autódromo, não há dúvidas de que ele entregará o que um “pé embaixo” deseja: ótima potência e velocidade.

Eles são motores voltados para o desempenho em alta velocidade, ou seja, veículos esportivos e de competição, como os motores presentes na Fórmula 1 e no Nissan GT-R R35.

Motor GT-R R35

Figura 5 – Motor do GT-R R35 (Diâmetro x curso: 95.5mm x 88.4mm).

Texto produzido por Fábio Sandrini Costa.

Leia também:

Deixe um comentário

Clique aqui para cancelar a resposta.

© 2021 SalaoDeCarros.com.br - Todos os direitos reservados. Politica de Privacidade